Destaques Notícias Diversas — 09 de março de 2016

Dois trabalhadores de postos de combustíveis morreram, nesta semana, no país em consequência de explosões. A falta de segurança, no manuseio dos produtos vendidos nos postos, tem provocado tragédias com trabalhadores e clientes. Nesta terça-feira(8), um funcionário que fazia manutenção no tanque de combustível, num posto da Zona Sul de Recife, em Pernambuco, morreu durante uma explosão. Também ontem, foi sepultado em Minas Gerais, o corpo do frentista que morreu em consequência de uma explosão num posto, em Vila Velha, no Espírito Santo. Esses acidentes nos chamam a atenção pela gravidade e pelo alto risco a que estão expostos os funcionários de postos de combustíveis e lojas de conveniência.

O acidente no posto em Recife, em Pernambuco, ocorreu quando o funcionário do posto realizava um procedimento de limpeza do tanque de combustível e faíscas de seu maquinário teriam entrado em contato com os gases do tanque provocando a explosão. De acordo com testemunhas o impacto foi tão grande, que o trabalhador foi atirado a cerca de dez metros e já caiu sem vida. Após a perícia no local do acidente, o Corpo de Bombeiros constatou que o procedimento realizado pelo trabalhador do posto era arriscado. De acordo com os bombeiros, o funcionário não usava equipamento de segurança.

Na semana passada, um frentista ficou gravemente ferido durante a explosão num posto em Vila Velha, no Espírito Santo. Ele morreu na última segunda-feira(7), após ficar seis dias internado em estado grave. Além da vítima fatal, o acidente deixou um cliente e outro frentista feridos. A explosão ocorreu quando os frentistas tentavam retirar parte da gasolina que colocaram a mais no tanque do carro. O procedimento teria acionado uma válvula do veículo e provocado a explosão.

Os Sindicatos dos Frentistas do Espírito Santo e de Pernambuco acompanham os casos e prestam assistência as famílias das vítimas. Esses acidentes mostram que precisamos lutar para melhorar as condições de trabalho e eliminar o alto risco de explosão no ambiente laboral. O funcionário do posto de combustível, assim como o da loja de conveniência, estão expostos a produtos altamente inflamáveis e tóxicos à saúde. Essa dura realidade do trabalhador do posto de combustível precisa ser mudada para que todos tenham segurança, inclusive os clientes e as pessoas que trabalham ou moram próximos aos estabelecimentos.

Fonte:http://www.sinpospetro-rj.org.br/

Compartilhe

Sobre o Autor

bel

(0) Comentários

Comentários fechados.