Destaques Notícias Diversas — 16 de abril de 2015

Medida quer evitar que frentistas fiquem expostos ao benzeno, um dos componentes da gasolina, e impedir a emissão da substância tóxica na atmosfera

Projeto de lei do vereador Gustavo Richa, que deve entrar em pauta nos próximos 20 dias, determina que os postos de combustíveis ficam obrigados a abastecer os veículos somente até o travamento automático de segurança da bomba de abastecimento. “Queremos conscientizar principalmente o consumidor e o frentista que ao abastecer o tanque até a boca estão se expondo ao benzeno, um dos compostos da gasolina, que ao ser inalado pode trazer sérios problemas à saúde.”

Em audiência pública realizada ontem na Câmara de Vereadores, Albertinho Barreto, especialista na área de avaliação de agentes químicos da Fundacentro, ligada ao Ministério do Trabalho, falou sobre os malefícios do benzeno. Segundo ele, a substância afeta principalmente o sistema sanguíneo e pode gerar doenças como leucemia e anemia, além de ser um depressor do sistema nervoso central. Barreto explica que ao abastecer o veículo até a boca, o frentista precisa chegar muito próximo do tanque para evitar o derramamento e fica mais exposto à inalação. Além disso, quando se abastece dentro do limite automático, diminui a quantidade de vapor que vai para a atmosfera.

Há cada 50 litros de gasolina, 100 mililitros vão para a atmosfera em forma de vapor e destes, 1 mililitro é de benzeno.” Além dos outros compostos da gasolina que também são bastante tóxicos. Barreto afirma que a concentração na atmosfera deste vapor põe em risco a saúde da população. Por isso, em alguns países, as medidas de segurança vão muito além de determinar o abastecimento apenas até o limite automático dos veículos e exigem que os postos tenham sistema de recuperação de vapor na bomba. No Brasil, segundo ele, há apenas seis ou sete postos que possuem este sistema, como resultado de ação civil pública.

De acordo com o projeto de lei de Richa, o frentista deverá informar o condutor do veículo que é proibido encher o tanque até a boca. Os responsáveis pelos postos deverão colocar, em local de fácil acesso e ampla visualização, placas informando a lei.

Flávio Pelissari, proprietário de posto, diz que já orienta os frentistas neste sentido. “Mas quanto mais conscientização e conhecimento, melhor.” Outro dono de posto, que preferiu não se identificar, diz que os consumidores pedem para encher o tanque até a boca. Entre os motoristas entrevistados pelo JL, nenhum afirma ter esta prática. A empresária Daniela Barros diz que abastece até o limite automático por ser uma especificação do manual do seu carro.

(Crédito: Marco Andre Lima/Agência de Notícias Gazeta do Povo/Arquivo)

Compartilhe

Sobre o Autor

bel

(0) Comentários

Comentários fechados.